Vilas e Cidades de Trás-os-Montes e Alto Douro

Nesta calcorreada pelas margens e arredores do Douro, vilas e cidades houve que valeu bem a pena conhecer e, muitas das vezes, bem mereciam mais do que uma curta paragem ou estadia.
Eis algumas delas, todas na antiga província de Trás-os-Montes e Alto Douro:

Lamego
De Lamego, cidade do distrito de Viseu, a primeira impressão, quando se chega à cidade atravessando a ponte sobre o Rio Balsemão, é a de uma urbe que cresceu desordenadamente e onde a fealdade abunda. Mas, depois, damos de caras com uns edifícios elegantes e bem conservados (casos da Sé, do antigo Paço Episcopal e do antigo Hospital da Misericórdia, hoje Cine-Teatro) e a surpresa é deveras agradável. A longa avenida pejada de árvores que nos conduz até ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios só reforça esse sentimento.

São João da Pesqueira
Também pertencente ao distrito de Viseu, foi a que mais surpreendeu.
Chovia a potes. Normalmente, a imagem da chuva num qualquer lugar costuma produzir em nós um lamento. No entanto, no caso da Praça da República, no minúsculo centro histórico da vila, tanta harmonia não parece capaz de ser perturbada por nenhum factor externo, muito menos da natureza. Lindo e encantador, verificar tamanha preocupação em manter um núcleo tão pitoresco, numa terreola tão para lá de Trás-os-Montes e Alto Douro.
Perto de São João da Pesqueira fica o miradouro de São Salvador do Mundo, com uma vista fabulosa para as águas do Douro que vão correndo serenas lá bem abaixo.


Torre de Moncorvo
Já no distrito de Bragança, é uma vila que também surpreende. Mais uma vez, o seu centro histórico encontra-se bem conservado, vendo-se aqui e ali umas quantas casas brasonadas. Um dos seus ex-libris é a Igreja Matriz, monumento nacional.
Como curiosidade, diga-se que as maiores amplitudes térmicas do nosso país costumam ser registadas aqui. Quer isto dizer: Invernos rigorosos e Verões abrasadores.

Mogadouro
Em Mogadouro, outra vila no distrito de Bragança, o que marca a paisagem é a Torre de Menagem do Castelo, donde se obtém uma vista tranquila do que parece uma planície trasmontana (apesar de os montes dominarem por aqui, onde a altitude é de cerca de 700m).


Miranda do Douro
Também no distrito de Bragança, é a cidade ponto de partida para o deslumbrante tour pelas águas do Douro Internacional, e a última localidade portuguesa que deixamos para trás quando queremos passar a fronteira até Espanha. Mas, para além da língua portuguesa, deixaremos também para trás a língua mirandesa, que esta é terra de fortes tradições. As placas com os nomes das ruas fazem questão de aparecer escritas nos dois idiomas.
O centro histórico é interessante e bem cuidado, com uma série de ruas pedonais. Lá no alto, depois de passarmos a Praça onde estão instalados os Paços do Concelho, num edifício solarengo, dominam a Sé e o Paço Episcopal com os seus jardins.

Mirandela
É uma cidade do distrito de Bragança que tem vindo a crescer e desenvolver-se, ajudada também pelos estudantes que frequentam os seus pólos universitários.
Alheiras à parte, Mirandela já valeria só pelo cenário da sua ponte sobre o Tua, com a arcaria sucessiva reflectida na água do rio. O edifício mais interessante é o antigo Palácio dos Távoras, hoje Paços do Concelho.Uma pergunta, todavia. Onde estava o metro de superfície, segundo dizem, ex-libris da cidade?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s