Desporto em Munique

Em Munique é fácil dedicar um dia inteirinho ao desporto, variando as modalidades, integrando-nos na arquitectura e na paisagem da cidade e, ao mesmo tempo, sentir que estamos a fazê-lo em locais e equipamentos cheios de história.

A proposta é começar logo cedo o dia com uma improvável surfada no rio Ivar, em pleno Englischer Garten. Um aviso, porém: muita coragem será necessária para combater as temperaturas negativas do Inverno, vestir um fato com muitos milímetros e entrar nas certamente gélidas águas onde se forma esta curiosa onda, a incontáveis kms de qualquer costa.
Aproveitando que estamos num dos maiores parques urbanos da Europa, podemos prosseguir o dia com uma caminhada ou um jogging para aquecer ou, porque não, pedalar por um dos seus trilhos, tentando não atropelar nenhum nudista que nos apareça pela frente (convenhamos que, apesar do nudismo neste parque ser habitual, tal não deverá ser muito comum durante o inclemente Inverno, brrr…).

À boleia da excelente rede de metropolitano, a próxima paragem será o Parque Olímpico, onde decorreram os Jogos Olímpicos (de Verão) de 1972. Neste complexo, com muitos espaços verdes e com a omnipresente torre olímpica a dominar, bem como o quase idílico lago central (infelizmente sem água pela altura em que visitámos), é de espantar a contemporaneidade estética dos vários equipamentos desportivos. Quem diria que passaram já quase 40 anos e ainda têm utilização. Pública, o que é mais importante e impressionante, como é o caso da mítica piscina onde Mark Spitz alcançou “apenas” 7 medalhas de ouro (proeza só batida por Michael Phelps, com 8 medalhas de ouro ganhas em Beijing 2008).

O Estádio Olímpico, esse, não tem tido uma utilização tão frequente no que a eventos desportivos diz respeito, mas é também utilizado para concertos e outros espectáculos de diversão. A sua arquitectura é fantástica, parece uma gigantesca tenda (à semelhança da piscina) de vidros de acrílico sustentados por cabos de aço.

Segue-se, neste itinerário, o moderno e recente Allianz Arena, o novo estádio da cidade inaugurado em 2005. Mas, respeitando a história e os marcos dominantes, os seus arquitectos inspiraram-se no estádio olímpico e homenagearam-no utilizando uns painéis a cobrir todo o exterior do estádio que remetem directamente para os tais vidros em acrílico do anterior estádio. A novidade é que estes painéis são brancos, mas mudam de cor conforme lá joga uma das duas equipas da cidade: vermelho para o FC Bayern Munchen ou azul para o TSV 1860 Munchen.
Depois deste extenuante dia, tempo ainda para ir de compras ao imenso armazém Schuster, bem no centro de Munique, para escolher num dos seus 5 andares o material para a jornada nas montanhas dos Alpes do dia seguinte: ski ou snowboard se for Inverno; hikking se for Primavera ou Verão.

E, qual a melhor forma de terminar um dia se não relaxando com estilo e ambiente? Mullersches Volksbad é a resposta. Parece mesmo anúncio publicitário mas quaisquer elogios não serão publicidade enganosa. Num edifício construído entre 1897 e 1901 em Art Noveau – não só o seu exterior como também o seu interior – a imponência e elegância dos seus espaços impera. São saunas e duas piscinas rodeadas de colunas e estátuas, com rostos de Neptunos a jorrarem água directamente para piscina mais pequena, rivalizando este barulho com o das braçadas dos utentes, tudo num clima de perfeita calmaria

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s