London 2012 Olympic Games

O pretexto para voltar a Londres neste verão de 2012, se é que são necessários pretextos para Londres, foi os Jogos Olímpicos. Candidatei-me aos bilhetes com cerca de um ano e meio de antecedência e há um ano foram-me atribuídos bilhetes para os quartos de final do basquete feminino e do volei masculino. Dai em diante ainda tentei um contacto no COP que me chutou rapidamente para a Cosmos e esta, como agência  oficialmente escolhida para comercializar os bilhetes para os Jogos, ainda mais rapidamente me comunicou, primeiro, que tinha de adquirir ou uma viagem de avião ou alojamento com eles também, segundo, que eram muito poucos os bilhetes e apenas para eliminatórias, por último, que não tinha bilhetes de todo.

Obrigadinha, que da minha vidinha trato eu. Foram, assim, e em resumo, praticamente 365 dias para me conformar de não ir ver nenhuma prova de natação, de  não ir por sequer um pé dentro do Estádio Olímpico, de não aprender in loco com a nata do triatlo como se fazem as transições, de não tentar compreender como os ginastas se contorcem todos, de tentar compreender como é possível andar às voltas em plano inclinado numa bicicleta dentro de um velódromo e não cair assim tantas vezes. Era mais ou menos isto que queria fazer em Londres 2012 e que vou ter de deixar para o Rio 2016.

Odores de desilusão por aqui? Nem um pouco. O deixar para o Rio 2016 não é uma promessa, é uma certeza. Gostei tanto do que me tocou em Londres 2012 que a partir daqui penso acompanhar todos os próximos Jogos na própria cidade onde decorrerão. 

O que me tocou desta vez assistir foi pouco, mas o suficiente para me deixar encantada. Aliás, já estava tão excitada e ansiosa pela minha primeira participação nuns Jogos que de qualquer aquecimento faria uma final. Vi, por ordem de acontecimentos, a maratona feminina pelas ruas de Londres, dois jogos dos quartos de final de meninas do basquete em pleno Parque Olímpico, dois jogos dos quartos de final de meninos do volei no pavilhão de Earls Court e as águas abertas de rapagões a nadarem no Hyde Park.

Segue-se a história dos quatro eventos presenciados.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s