Arouca

Já que estamos pela Serra da Freita e pelos Passadiços do Paiva, vale a pena uma paragem na vila de Arouca, sede de concelho abençoada com uma paisagem natural impressionante.

Arouca cresceu e desenvolveu-se à volta do Mosteiro de Santa Maria de Arouca. Este Mosteiro, talvez datado do século X, foi doado por Dom Sancho I à sua filha, Dona Mafalda. No início era um mosteiro misto, mas a partir do século XII tornou-se exclusivamente feminino, e logo um dos maiores do país, tendo passado a integrar a Ordem de Cister em 1226. O edifício que vemos hoje foi alterado praticamente por completo nos séculos XVII e XVIII. Os seus dormitórios são largos, a atestar a origem aristocrática e o poder das famílias das freiras de Arouca. É por isso que este mosteiro é rico, alimentado pelos dotes das suas ocupantes, e ainda hoje essa riqueza é visível. A visita ao Museu de Arte Sacra neste Mosteiro, incluindo cozinha, claustros, pintura, escultura, mobiliário e prataria, tem como ponto alto o seu Coro Baixo.

Separado da bela igreja rica em talha dourada (de visita livre), para que as freiras não fossem vistas pelos leigos, este Coro é uma pequena maravilha. O belíssimo trabalho do cadeiral é obra de entalhadores portuenses do século XVIII e acima veem-se vinte emocionantes imagens de pedra de Ançã esculpidas por Jacinto Vieira também da mesma data.

Junto ao Mosteiro é o coração de Arouca e nas ruas ao seu redor destaca-se algum casario mais distinto e revestido a azulejo. À frente fica a Capela da Misericórdia com o seu bonito largo com calçada portuguesa. Um pouco mais acima o Calvário. Parece uma terra devota.

Para algo mais terreno, voltemos ao centro, seja para comprar alguns produtos locais na feira dominical no parque verde, seja para uma refeição num dos seus restaurantes de comida típica regional, donde faz parte a incontornável carne arouquesa.

E não esqueçamos de saborear um dos vários doces conventuais regionais, como as castanhas doces, as roscas, as morcelas doces e as barriga de freira. A provar que Arouca é terra de paisagens enormes, mas também de sabores inesquecíveis.

Para terminar em beleza, uma subida até à Capela de Nossa Senhora da Mó, mais um dos pontos de vista soberbos da região para a despedida.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s