Mata da Albergaria – Portela do Homem

Este é um percurso pedestre circular com início e fim no parque de estacionamento da Portela do Homem, junto à fronteira com Espanha. Para entrar de carro na Mata da Albergaria, um dos bosques mais fantásticos do Gerês, repositório da fauna e flora do Parque, há que pagar 1,5 euros, mas vale bem a pena. Melhor do que isso só mesmo embrenharmo-nos pela Mata a pé.

São cerca de 4,3 quilómetros desde o estacionamento, passando por frondosa vegetação ao longo do rio Homem, lagoas e cascatas, incluindo a célebre Portela do Homem, pontes e até uma antiga estrada romana, menos de duas horas de passeio, incluindo paragem e mergulho nas lagoas.

Apesar de não estar marcado, é fácil perceber o trilho. Um aviso, porém. Este é um dos lugares mais pressionados pelo excesso de visitantes, por isso há que respeitar as regras do Parque e em especial da Mata se queremos preservar o seu ecossistema e voltar a visitá-lo repetidas vezes.

Começámos por nos deixar envolver no bosque de carvalhal secular. Mesmo nos dias de sol e calor intenso não damos por eles, tal é a protecção das exuberantes copas das árvores. Este caminho coincide em parte com o que era a Geira, a antiga estrada romana que ligava Braga a Astorga. Diversos marcos miliários bem preservados testemunham-no. Imaginar que os exércitos romanos passaram por aqui há mais de 2 milénios e puderam ter esta beleza montanhosa cheia de piscinas naturais só para eles.

A verdade é que com sorte também nos pode tocar essa felicidade. Por exemplo, passei por um ribeiro com uma lagoa e perguntei-me porque estaria vazia. Mais adiante, após uma ponte robusta, um género de fenda com outra lagoa encostada a uma parede rochosa tinha apenas um par de indivíduos. E aqui com o bónus de um enquadramento paisagístico fabuloso feito dos penedos da montanhosa Gerês como pano de fundo.

Mais adiante ainda, após um breve desvio para outra ponte, o cenário aquático é ainda mais fantástico e uma concorrência à altura da protagonista Portela do Homem. É uma sucessão de lagoas cristalinas, conhecidas como Lagoas da Mata da Albergaria, cada uma mais bonita do que a outra. Aqui já tinha mais gente mas, imagine-se, dias depois, quando a mana aqui passou, apanhou-as completamente vazias durante largas dezenas de minutos, tal como imaginei que apenas os soldados romanos o pudessem ter feito.

Logo a seguir invertemos caminho e passamos a seguir pela estrada de asfalto. Não há que lamentar, porém, não apenas porque o trânsito não é muito, mas também porque a estrada é lindíssima e igualmente protegida pela mesmíssima vegetação frondosa.

A Cascata da Portela do Homem, avistada desde a ponte, está cheia de gente. O acesso à lagoa e base da cascata, exclusivamente pelo lado esquerdo (pelo direito estava vedado), não é fácil e ainda estou para saber como é que pessoas mais velhas e outras com filhos de colo chegam lá abaixo. Talvez sejam essas que vêm nas notícias do dia seguinte, relatando os costumeiros acidentes nas cascatas do Gerês. Também não é fácil, já com os pés na água, percorrer as pedras escorregadias que nos fazem mergulhar na lagoa para onde jorra aquela que é das cascatas mais cénicas do Parque. Está compreendido o porquê do risco.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s