Que País É Este?

Há um país, pelo menos um, que tem na sua bandeira uma montanha. Não uma qualquer, mas sim a mais importante do seu território nacional. Aquela montanha, sobre a qual dizem que não se é verdadeiramente cidadão nacional até se fazer a sua ascensão.
Faz sentido, porque nesse país a natureza impera. Mais de 50% do território é coberto por floresta. Até a capital do país é verde, situação que contribuiu para ganhar em 2016 o título de Capital Verde da Europa. Europa…Já deu para perceber de forma morna qual a localização do país que escrevo.
Continuando. Neste pequeno país, em área e população – os humanos são apenas cerca de 2 milhões – há, no entanto, uma grande diversidade geográfica e paisagística. Diversidade populacional não, aspecto fulcral para que este país tenha tido estabilidade e paz relativamente cedo, contrariamente aos restantes membros da ex-República. Começa a estar fácil descobrir de que país se trata, não?
Pois bem, muita diversidade geográfica e paisagística. Montanhas, planaltos, pequenas cidades, zonas de vinha, castelos, grutas, praias, rios, cascatas, lagos. 
Veja-se, há lagos de uma beleza tão estonteante que chegam a ser abafados pelo protagonismo de outros, naturalmente, também estonteantes.
Existem rios com água tão azul cristalina, que nos inebriam. Alguns são tão encaixados, que a sua beleza nos abisma e deslumbra.
Há trilhos no meio da floresta que nos conduzem a cascatas surpreendentes.
Passamos de uma face para a outra das montanhas e percebemos que a beleza não tem fim.
Mais, descemos ao interior da terra e percebemos que até aí a surpresa não cessa.
A localização ímpar e extraordinária dos castelos conquistam-nos, acção que estas fortificações sempre tentaram impedir.
Bebemos à mesa o néctar tirado das vinhas que ladeiam as estradas que percorremos. Também à mesa comemos pratos elaborados com ingredientes locais, utilizados tanto na cozinha simples como na alta cozinha.
Calcorrear pequenas cidades, as quais nos transmitem a história e as várias influências do território. As influências e as dinâmicas territoriais foram tantas ao longo dos tempos, que algumas das cidades fazem-nos crer que estamos noutro país. 
Em todos os momentos sentimos uma comunhão com o belo. Aqui tudo é sereno e perfeito.
Onde?
No país que entre os heróis do desporto estão remadores e um saltador de ski. 
Fácil!
O quê?
Não descer as pistas de saltos de ski, mas antes descobrir que país é este.
Porém, mais fácil ainda é gostar deste país.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s