Para Além de Hué e Hoi An

No caminho de Hue para Hoi An fica o Hai Van Pass, com a praia de Lang Co lá bem em baixo. Há quem defenda que esta é uma das estradas mais bonitas de toda a Ásia. A paisagem, por entre as montanhas verdejantes que descem abruptamente para o mar, deixando apenas belíssimos e planíssimos vales entre estes dois elementos, a paisagem, dizia, parece de facto brutal. E se digo “parece” é porque o tempo fechado e as nuvens que ele trouxe não permitiram mais do que vermos a espaços, pelas nesgas das raras abertas, todas as potencialidades da paisagem. Aliás, Hai Van quer dizer precisamente “mar de nuvens”.

Nos últimos anos foi construído um túnel de quase 7 km por entre as montanhas para poupar tempo no caminho, e os autocarros passaram a utilizá-lo. Este foi um dos motivos que nos fez optar por um carro privado – o outro foi o horário do autocarro, incompatível com o nosso escasso tempo e a vontade de conhecer mais e mais nesse escasso tempo.
Assim, conseguimos aproveitar a mesma tarde para visitar as Marble Mountains.
Este fenómeno da natureza fica no extremo norte de China Beach, junto à cidade de Danang, antes de se chegar a Hoi An.

São uma verdadeira surpresa. Não só por vermos um sem número de pagodes a irromper das montanhas de mármore, mas também pelo inesperado de darmos de caras com umas caves enormes, em espaço e altura, por onde o céu aberto vai avançando.
Uma dessas caves, a mais esmagadora, está hoje transformada em catedral, mas nos tempos da Guerra do Vietname foi utilizada como hospital de campanha.
Também por My Son andaram os americanos. Os soldados e as suas bombas. Estas ruínas do antigo reino Champa estão classificadas como património da Unesco e estão localizadas a cerca de 50 km de Hoi An. A sua importância histórico-cultural é evidente, assim como evidente é a beleza da sua envolvente natural – rodeada pelas montanhas e vales verdejantes.
Os Champas, ainda hoje uma importante minoria étnica no Vietname, desenvolveram em My Son um centro religioso entre o século IV e XIII, construindo diversos templos dedicados às divindades que adoravam. Há quem compare o significado que estas ruínas têm para os Champas com aquelas ruínas que vemos ainda hoje em Angkor, no Cambodja, bem como com outras grandes civilizações do sudeste asiático. Salvas as devidas ressalvas no que a proporções e estado de conservação diz respeito, é também muito interessante a visita a My Son, pese embora o calor intenso com que temos de batalhar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s