Ciudad de las Artes y las Ciencias

Valência será sempre uma cidade imperdível mais não seja pela fantástica Cidade das Artes e das Ciências. Apesar de só ter gasto uma parte de uma tarde para conhecê-la, o meu entusiasmo foi tão grande que creio que uma semana inteirinha a deambular por aqui não me iria aborrecer.
Desenhada pelos arquitectos espanhóis Santiago Calatrava e Felix Candela, e inaugurada em 1998, a Cidade das Artes e das Ciências é um complexo que, aparte a sua arquitectura fabulosa, pretende ser um centro cultural e de entretenimento.


O L´Hemisfèric, o primeiro edifício a ser inaugurado, passa filmes IMAX e outras projecções futuristas e serve também de planetário;


O Museo de las Ciencias Príncipe Felipe é, como o nome o indica, um museu dedicado às ciências com cerca de 40000 m2;


O Palau de las Artes Reina Sofia é dedicado à música;


O Oceanogràfic bate o nosso Oceanário de Lisboa como o maior da Europa (e é o único equipamento desta “cidade” que não é desenhado por Calatavra, mas antes por Candela);


O L´Umbracle é uma mega estufa que alia o gosto pelas doces plantinhas ao gosto pela própria estrutura onde elas estão implantadas – linda, linda.


Assim como lindos, lindos são os passeios que nos permitem caminhar por entre os vários edifícios, sempre bordejados pela água e ponteados aqui e ali por esculturas que alindam ainda mais o sítio.


Mais recentemente, e como se pudessem ainda conferir mais elegância à “cidade”, chegaram a Puente de l´Assut de L´Or e El Ágora, espaço que já serviu para realizar vários concertos e eventos desportivos.

Bom, mas esta é a versão oficial da história.
Por largos momentos lá, e quando ainda hoje, a uns kms de distância, penso na Cidade das Artes e das Ciências, o espaço parece-me uma outra coisa.



Pese embora a vegetação e a água que os rodeia, tomo o Palau como uma enorme nave espacial ou como a cabeça de um assustador monstro de outro planeta; o L´Hemisfèric não pode deixar de ser um dos 3 olhos desse monstro; e o Museo é o corpo – em esqueleto – cheio de ossos desse monstro.

Mas na verdade nada é assim tão assombroso. Ou pelo menos num sentido de assombro negativo. Sim um assombro estético superior de feliz imaginação e ainda mais feliz execução.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s