Foz do Arelho

A costa da Foz do Arelho é uma frequentemente batida a vento e ondulação forte. As suas falésias agrestes e rudes, cobertas de vegetação rasteira que lhe dão cor desde o verde ao vermelho, com o amarelo pelo caminho, despertam os sentidos e têm o condão de nos distrair por momentos da imensidão do Oceano que se estende diante si.

Comecemos este passeio pelo miradouro acima da falésia a norte da povoação. Tanto para a direita (norte) como para a esquerda (sul), o nosso olhar dá-nos uma paisagem contínua e integra típica da costa Atlântica do Oeste. Haverá trilhos para ambos os sentidos, mas para sul, em direcção à Foz do Arelho, temos um caminho seguro e bem delineado, ao qual não faltam uns passadiços artísticos. Por menos de 1 quilómetro caminhamos pela falésia com o mar à distância de um palmo e a dominar o nosso horizonte. Projecto integrado na requalificação das arribas da Foz do Arelho, aqui encontramos diversos miradouros e espaços que convidam a deixarmo-nos estar a cada passo.

Seguindo já na estrada, logo chegaremos à praia da Foz do Arelho. E, aqui, surge uma boa dúvida: mar ou lagoa? A escolha é de cada um, mas a beleza é para todos.

Enquanto num lado as águas do mar Atlântico sacodem a areia, no outro lado as águas da lagoa de Óbidos aconchegam-se tranquilamente na mesma areia.

Uma longa avenida acompanha parte do ainda mais longo areal. Vê-se um pitoresco quiosque verde e, acima da promenade, um palacete com uma implantação privilegiada. A praia da Foz do Arelho foi – e ainda continua – um concorrido destino de veraneio, sobretudo para aqueles que também procuravam a vizinha Caldas da Rainha. O núcleo principal da povoação em si (Foz do Arelho é freguesia) está situado um pouco mais adentro e não tem grande piada. O grande interesse é, na verdade, o elemento água e a paisagem que o envolve.

A lagoa de que falámos como parceira do mar na praia da Foz do Arelho é a Lagoa de Óbidos. Não há por aqui nenhum rio Arelho; quem desagua no mar é a própria Lagoa de Óbidos. Com uma área actual de cerca de 6,9 kms2, a lagoa já foi bem maior e terá chegado até à beira da povoação de Óbidos. Mas o que resta é ainda enorme, em tamanho e em valor, sendo, aliás, a maior lagoa costeira do nosso país. Com uma fauna e flora generosas, a paisagem que ela nos permite observar e sentir merece por si só o destaque. Saindo da Foz do Arelho e entrando na freguesia vizinha do Nadadouro, podemos seguir por quilómetros ao longo da lagoa, parando em pequenas baías com barcos, recordando e prosseguindo o passado piscatório da região. Um desafio para uma próxima visita: caminhar por inteiro numa volta completa à Lagoa, coisa para uns certamente épicos 24 kms.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s