Açores, que ilha(s) escolher

Vê-se aquela foto de página dupla numa revista e não se acredita: aquela paisagem enorme é Portugal. Não interessa qual é a foto. Qualquer foto dos Açores mostra sempre uma paisagem grandiosa, um vulcão rodeado de verde e azul, o verde da paisagem, o azul do mar.

O arquipélago dos Açores é feito de 9 ilhas. Os últimos anos têm levado até aos Açores cada vez mais visitantes. A maioria deles, até à ilha de São Miguel, o lugar da capital, a mais famosa, a mais bonita. Mas será assim?

Para mim, a dificuldade de uma visita aos Açores surge bem antes de marcar o avião: que ilha(s) escolher? E quanto mais penso e pondero e oiço e leio conselhos, mais dúvidas se instalam. Cada um de nós terá uma ilha diferente como preferida, aquela que defende ser a mais bonita ou, tão só, a que mais momentos especiais lhe permitiu e permite viver.

Ler as “Ilhas Desconhecidas”, de Raul Brandão, ou “Açores, o Segredo das Ilhas”, de João de Melo, não ajuda à decisão. Antes instala o desejo de todas querer descobrir e ser por elas tocado e inspirado. Hei-de lá chegar, de a todas as 9 ilhas visitar. Por enquanto, repeti o Faial e o Pico e estreei-me em São Jorge e na Terceira (deste grupo central deixei, a custo, cair a Graciosa). É por aqui, por este Canal tornado intemporal por Vitorino Nemésio, que temos a percepção absoluta do que é um arquipélago. Escreveu Raul Brandão que “o que as ilhas têm de mais belo e as completa é a ilha que está em frente”. A montanha do Pico, a mais alta de Portugal com os seus 2351 metros, parece emergir directamente do mar e é presença constante, mais ao perto ou mais ao longe, na paisagem do Canal. Apenas não a consegui ver da ilha Terceira, mais distante, e… da própria ilha do Pico. E essa é também a magia dos Açores, o mau tempo no arquipélago, cortesia de um dos anticiclones mais famosos do mundo, que nos deixa descobrir paisagens majestosas para logo as cobrir de chuva e nevoeiro, levantando ondas no Canal que nos impedem de abandonar as suas ilhas. Não era necessário, guardaremos sempre na memória e na alma o esplendor dos Açores.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s